OS TRABALHADORES DO COMÉRCIO, ESCRITÓRIOS E SERVIÇOS CONTINUAM EM LUTA!

OS TRABALHADORES DO COMÉRCIO, ESCRITÓRIOS E SERVIÇOS CONTINUAM EM LUTA!

Terminada a Quinzena de Luta, trabalhadores decidem que a luta vai continuar já no 1º de Maio. De 3 a 16 de Abril milhares de trabalhadores do comércio, escritórios 

e serviços realizaram um vasto conjunto de acções de luta em defesa das suas reivindicações. Participaram nestas acções trabalhadores da grande distribuição, do comércio a retalho, de IPSSs e Misericórdias e outros sectores de serviços, em centenas de locais de trabalho. 

Os trabalhadores do sector estiveram em luta durante toda a primeira quinzena de Abril por: 

- Aumentos salariais e o fim das discriminações salariais, horários regulados que permitam a harmonização entre a vida profissional e a vida pessoal e familiar, justiça nas carreiras profissionais, o fim do trabalho precário, o fim dos ritmos de trabalho destruidores da sua saúde, o fim do assédio moral, pressão e repressão nos locais de trabalho, pela negociação, respeito e cumprimento da contratação colectiva.

 

DAS MUITAS ACÇÕES REALIZADAS DESTACAMOS: 

- Os vários plenários realizados nos estabelecimentos e a Concentração com greve de trabalhadores do AUCHAN, dia 5 de Abril, frente à sede da empresa em Alcântara - Lisboa, com a participação de centenas de trabalhadores das lojas Jumbo e Pão de Açúcar de todo o país e a aprovação da continuação da luta com greve no 1º de Maio e participação nas manifestações da CGTP-IN.

Foi emitido pré-aviso de greve dia 1 de Maio com as reivindicações dos trabalhadores do Auchan 

- Acções frente a lojas Pingo Doce, realizadas em todo o país, na semana de 7 a 12 de Abril, com a afirmação das reivindicações dos trabalhadores e denúncia pública dos comportamentos da empresa de desrespeito pelos trabalhadores e incumprimento da lei e do contrato colectivo de trabalho 

- Plenários de trabalhadores nos entrepostos / logísticas do Lidl de Torres Novas, Ribeirão (Braga) e Marateca e nas lojas Lidl, com aprovação por unanimidade de luta com greve no 1º de Maio, concentrações à porta dos Entrepostos e participação nas manifestações da CGTP-IN, pelo aumento dos salários, contra as alterações unilaterais aos horários de trabalho, pelo respeito pelo CCT.

Foi já emitido pré-aviso de greve dia 1 de Maio para os trabalhadores do Lidl 

- Plenários de trabalhadores dos armazéns / logísticas da Jerónimo Martins Retalho (Pingo Doce) da Azambuja e Algoz (Algarve) com decisão de greve no 1º de Maio em defesa do aumento dos salários e justiça nas carreiras profissionais, nomeadamente dos operadores de armazém.

Emitido pré-aviso de greve dia 1 de Maio para os trabalhadores da Jerónimo Martins Retalho (Logística Pingo Doce) 

- Acções nas lojas e plenários nos armazéns / logísticas da Sonae, em discussão com os trabalhadores a realização de greve no dia 1 de Maio em defesa das suas reivindicações: aumento dos salários, valorização e justiça nas carreiras e categorias profissionais , horários regulados, fim à precariedade

Emitido pré-aviso de greve dia 1 de Maio para os trabalhadores das lojas Continente de Portimão e Continente Cabeça do Mocho (Portimão) 

- Plenário e acção à porta do Centro Social e Paroquial de S. Vicente de Fora no dia 11 de Abril com concentração das trabalhadoras à porta da instituição e denúncia pública das pressões e repressão da chefia da instituição. 

- Plenários e acções em várias empresas do sector social – IPSS e Misericórdias – com resultados muito positivos em várias instituições de resposta às reivindicações dos trabalhadores, como foi o caso da Stª Casa Misericórdia da Póvoa do Varzim ou da SCM de Lagos. 

- Acções de denúncia dos trabalhadores do comércio retalhista, como a realizada nos estabelecimentos comerciais do centro histórico de Évora exigindo a negociação do Contrato Colectivo. 

- Acção no El Corte Inglés em Lisboa, de denúncia da falta de resposta da empresa à exigência de resolução de muitos problemas que afectam os trabalhadores e do incumprimento da lei e do CCT e em defesa de melhores condições de vida e de trabalho. 

- Greve de 24 horas dos trabalhadores do Dia/Minipreço no dia 13 de Abril, com concentrações nas instalações da empresa em Oeiras (Lisboa), Vila Nova de Gaia (Porto) e Albufeira (Algarve). A muito elevada adesão à greve obrigou ao encerramento de mais de 60 lojas Dia Minipreço em todo o país e paralisou os armazéns de Vialonga, juntando mais de 500 trabalhadores nas 3 concentrações realizadas.

Os trabalhadores reunidos nas concentrações decidiram continuar a luta com greve no 1º de Maio e participação nas manifestações da CGTP-IN.

Foi emitido pré-aviso de greve dia 1 de Maio para os trabalhadores do Dia Minipreço. 

1º de Maio – Dia de Luta dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços 

Os trabalhadores do comércio, escritórios e serviços vão continuar a luta por: 

-          Aumento dos salários de todos os trabalhadores

-          Horários humanizados e regulados

-          Negociação e cumprimento da contratação colectiva

-          Fim da precariedade

-          Valorização das carreiras e categorias profissionais

-          Fim das pressões e repressão

-          Respeito pelo 1º de Maio – Dia Internacional do Trabalhador 

Emitido pré-aviso de greve dia 1 de Maio para todos os trabalhadores do comércio, escritórios e serviços 

Até ao 1º de Maio continuará a mobilização dos trabalhadores para a greve e participação nas manifestações da CGTP-IN.  

19 Abril 2017

A Direcção Nacional do CESP.

Está em... Home Acção Reivindicativa OS TRABALHADORES DO COMÉRCIO, ESCRITÓRIOS E SERVIÇOS CONTINUAM EM LUTA!