Erro
  • Erro ao carregar sinal web

LUTA TRAZ VITÓRIAS NA MSC/MEDWAY!

LUTA TRAZ VITÓRIAS NA MSC/MEDWAY!Perante anúncio de greve, obtém-se acordo na MSC/MEDWAY (antiga CP Carga). Foi assinado um acordo de aumento intercalar dos salários dos trabalhadores da MSC/MEDWAY de 25€ por mês com retroactivos a 1 de Janeiro de 2017 e mais 7,5€ de subsídio de refeição a partir de 1 de Maio próximo e 8,5€ em 1 de Maio do próximo ano. Este acordo, obtido numa reunião realizada com a empresa, foi conseguido depois do anúncio de uma greve para dia 27 de Abril e abrange TODOS os trabalhadores da empresa. Este acordo segue-se ao anúncio da reposição das avaliações profissionais e evoluções na carreira profissional que daí resultarem e é independente da negociação do novo Acordo de Empresa e novo Regulamento de Carreiras que terão continuação.

Ver acordo assinado.

SINDICATOS CONSEGUEM DEVOLUÇÃO DE SUBSÍDIO CORTADO EM 2013

SINDICATOS CONSEGUEM DEVOLUÇÃO DE SUBSÍDIO CORTADO EM 2013Por acção do CENA - Sindicato dos Músicos, dos Profissionais do Espectáculo e do Audiovisual e o STE – Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos, os trabalhadores da OPART– Organismo de Produção Artística vão ter reposto o valor do seu subsídio de refeição. O corte naquele subsídio foi decidido pela administração anterior e vigorava desde Dezembro de 2013. Além da reposição do montante diário de 5,05 euros que os trabalhadores auferiam até 2013, também os valores cortados lhes serão devolvidos em retroactivos, já a partir deste mês. Esta vitória importante para os trabalhadores repõe o direito ao subsídio de refeição por inteiro e restitui-os da totalidade dos valores entretanto perdidos.

PROMOÇÃO DE GUARDAS PRISIONAIS JÁ FOI DESBLOQUEADA

PROMOÇÃO DE GUARDAS PRISIONAIS JA FOI DESBLOQUEADAFoi desbloqueada a promoção de mais de 360 guardas prisionais para a categoria de guardas principais e que mais 400 profissionais vão iniciar estágio de formação. Esta era uma das reivindicações dos guardas prisionais na vigília que realizaram junto à Residência Oficial do Primeiro-Ministro, no passado dia 24 de Janeiro. Respondendo, ontem, a uma pergunta do deputado do PCP, António Filipe, sobre uma recente reunião com o sindicato dos guardas prisionais, realizada após a referida vigília, a Ministra da Justiça indicou que a "pretensão justa" de promover 366 guardas à categoria de guardas principais já foi desbloqueada e que 400 guardas vão iniciar um estágio de formação.

TRABALHADORES DA GEBALIS CONQUISTAM AS 35 HORAS SEMANAIS!

TRABALHADORES DA GEBALIS CONQUISTAM AS 35 HORAS SEMANAIS!Foi assinado no dia 9 de Março um acordo entre o STAL/STML e o C.A. da Gebalis que garante as 35 horas de trabalho semanais para todos os trabalhadores da Gebalis. Esta deliberação da passagem para as 35 horas, decorre das negociações do Acordo de Empresa entre os dois Sindicatos e a Administração, em que, estando todo o clausulado relativo a horários de trabalho já fechado, se optou por avançar no imediato para a implementação das 35 horas, sem qualquer tipo de contrapartidas como bancos de horas ou adaptabilidade de horários. Este acordo terá efeitos práticos a partir de 1 de Abril do corrente ano.

Mais... TRABALHADORES DA GEBALIS CONQUISTAM AS 35 HORAS SEMANAIS!

HORAS EXTRAORDINÁRIAS DOS MÉDICOS VOLTARÃO A SER PAGAS A 100%

HORAS EXTRAORDINÁRIAS DOS MÉDICOS VOLTARÃO A SER PAGAS A 100%As horas extraordinárias dos médicos voltarão a ser pagas com um acréscimo de 100 por cento a partir de Julho deste ano, mas no próximo dia 1 de Março já vão passar para os 75 por cento, em vez dos actuais 50 por cento. A informação é adiantada pela FNAM - Federação Nacional dos Médicos, no seu site, onde dá conta de uma reunião com o ministro da Saúde e os dois secretários de Estado, realizada na passada segunda-feira, 6 de Fevereiro.

Também foi decidido dar início, ainda este mês, à discussão sobre a revisão da Carreira Médica e das grelhas salariais.

O cumprimento dos descansos compensatórios dos médicos foi outra matéria abordada, ficando assente que será emitido um despacho dos secretários de estado a todas as administrações dos serviços de saúde para que seja integralmente respeitada a legislação.

No decurso da reunião as organizações sindicais médicas foram surpreendidas com a informação de que estava para promulgação um novo decreto relativo à gestão hospitalar, onde são estabelecidos os CRIs ( Centros de Responsabilidade Integrados) hospitalares e a limitação dos mandatos dos cargos de gestão. Sobre esta matéria, os representantes sindicais fizeram notar que este tipo de legislação impõe a prévia negociação sindical e que ela tinha sido desrespeitada, pelo que serão adoptadas medidas pelos sindicatos para fazer "face a uma situação que não é tolerável".

A LUTA CONTINUA PELA RECUPERAÇÃO E CONQUISTA DE DIREITOS

A LUTA CONTINUA PELA RECUPERAÇÃO E CONQUISTA DE DIREITOSSTAL assina ACEP com as Juntas de Freguesia de Bucelas e Loures que repõem os 3 dias de férias roubados. Os ACEP agora assinados devolvem aos trabalhadores destas autarquias os 3 dias de férias roubados pelo Governo PSD/CDS-PP. Depois da grandiosa luta travada pela reconquista do horário de trabalho de 35 horas semanais, os trabalhadores com o seu sindicato, por via da negociação colectiva, recuperam o direito aos 25 dias úteis de férias, contribuindo para que este direito seja reposto a todos os trabalhadores da Administração Pública.

REVOGAÇÃO DA TSU - A LUTA TORNOU POSSÍVEL O QUE PARECIA IMPOSSÍVEL

REVOGAÇÃO DA TSU - A LUTA TORNOU POSSÍVEL O QUE PARECIA IMPOSSÍVELA CGTP-IN saúda a decisão da Assembleia da República, de rejeitar a redução da TSU para o patronato. Este é o resultado de uma luta permanente, que tornou possível o que parecia impossível. Com a queda da TSU foi travada uma medida injusta que lesava a segurança social, incentivava os baixos salários, promovia a precariedade, estimulava o boicote patronal à contratação colectiva e fomentava a desvalorização das profissões e das carreiras profissionais. Apesar do acerto desta decisão, nota-se contudo, que continua intocável o amplo e diversificado pacote financeiro, destinado essencialmente às grandes empresas. A CGTP-IN rejeita que o SMN sirva de moeda de troca para favorecer interesses económicos instalados e considera que o Governo deve retirar as ilações devidas, para que situações como aquela que agora ocorreu na CPCS não se voltem a verificar no futuro.

Mais... REVOGAÇÃO DA TSU - A LUTA TORNOU POSSÍVEL O QUE PARECIA IMPOSSÍVEL

Está em... Home Vale a pena lutar