Trabalhadores das Cantinas e Refeitórios em Luta por Aumentos Salariais

Trabalhadores das Cantinas e Refeitórios em Greve dia 17 de Maio, estiveram concentrados em protesto na sede AHRESP, às 11:00 horas, por Aumentos salariais dignos e justos para 2021, Defesa dos direitos dos trabalhadores, Negociação do Contrato Colectivo de Trabalho.

0s salários dos trabalhadores das cantinas, refeitórios e bares concessionados são muito baixos. Não há nenhuma razão para o sector não pagar melhores salários, apesar das diversas promessas da AHRESP de pretender negociar com a Federação dos Trabalhadores da Agricultura, Alimentação, Bebidas e Turismo de Portugal (FESAHT), um acordo desde o longínquo ano de 2003, o certo é que não aceita propostas que melhorem as condições de vida dos trabalhadores, pelo contrário as propostas da AHRESP são sempre de baixos salários, tendo como base o salário mínimo nacional, de forma a garantir o maior tempo disponível para explorar os trabalhadores.

Prova disso é a denuncia que a AHRESP fez do CCT das Cantinas e Refeitórios em 2019, acordado com a FESHAT, para requerer a sua caducidade, ficando demostrado mais uma vez que o diálogo da AHRESP de boa fé negocial neste processo, é retórica.

Mas os trabalhadores não vão desistir de lutar pela valorização da Profissão e do Contrato Colectivo de Trabalho. Por esses motivos, os trabalhadores em greve estiveram concentrados na sede da AHRESP em Lisboa para protestar junto da associação patronal, no sentido de reverter a sua posição. Contaram com a presença da secretaria geral da CGTP- IN Isabel Camarinha em solidariedade com a sua luta.