Acção reivindicativa

31 de Janeiro de 2020 Greve dos Trabalhadores das empresas de distribuição

31 de Janeiro de 2020
Greve dos Trabalhadores das empresas de distribuição (Supermercados, Hipermercados, Armazéns, Logísticas e lojas especializadas da grande distribuição)


Os Trabalhadores das empresas de distribuição vão estar em greve no próximo dia 31 de Janeiro de 2020 em luta por:

 

- O aumento dos salários de todos os trabalhadores em 90€ (3€/dia) em Janeiro de 2020;
- A valorização das carreiras e qualificações profissionais adquiridas ao longo dos anos de trabalho;
- Horários de trabalho regulados que permitam a conciliação entre a vida pessoal e familiar e a vida profissional;
- A passagem a contrato sem prazo de todos os trabalhadores a ocupar postos de trabalho permanente.

31 Janeiro Manifestação Nacional Administração Pública - 90 euros para todos!

 

 

31 JANEIRO
MANIFESTAÇÃO NACIONAL
Trabalhadores da Administração Pública
14:30
Lisboa - Marquês de Pombal

 

90 EUROS PARA TODOS!

SEM TRABALHO COM DIREITOS,
NÃO HÁ SERVIÇOS DE QUALIDADE!

31 de Janeiro, participa na Manifestação!

  • Por aumentos salariais justos: 90 euros por trabalhador em Janeiro de 2020!
  • Em defesa dos Serviços Públicos!

Reformados Concentram-se em Frente à Sede da Segurança Social

A Inter-Reformados Lisboa- CGTP-IN, organização de Reformados do distrito de Lisboa da CGTP-IN, em conjunto com o MURPI, Confederação Nacional de Reformados Pensionistas e Idosos, realizaram hoje uma Tribuna Pública, em frente à sede da Segurança Social, em Lisboa. Nesta iniciativa os reformados reivindicam o aumento de todas as pensões, melhoria dos serviços Públicos e por condições de vida dignas.

Os reformados e pensionistas denunciam o facto de não haver neste Orçamento de Estado (OE) medidas positivas que o governo enuncia.

Os reformados exigem o aumento real das pensões, que permita a autonomia económica e social dos reformados, por um forte investimento público em dominios vitais para um verdadeiro combate às desigualdades sociais e à pobreza nas áreas do SNS, da Segurança Social, na mobilidade, e transportes públicos, na habitação, no usufruto de bens, de bens energéticos a preços acessiveis.

Foi também manifestada solidariedade para com os trabalhadores noa activo alertando para a necessidade de interromper a espiral de baixas reformas e pensões, no futuro por via da valorização dos salários e do SMN para 850€, a curto prazo, que assegure a continuidade de aumento de receitas devidas à Segurança Social.

Na opinião das organizações este Orçamento de Estado deveria contemplar a reposição da idade da reforma para os 65 ano, a eliminação do factor de sustentabilidade e no assegurar do direito à reforma sem penalizações para todos os trablhadores com 40 e mais anos de descontos para a segurança social.

Os reformados, pensionistas e idosos reivindicam medidas concretas de combate à pobreza e à exclusão social por mais justiça social. A Tribuna terminou com a aprovação e entrega de uma Resolução.

TRABALHADORES DOS HIPERMERCADOS EM GREVE NO DIA 31

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal , (CESP) , anunciou  para dia 31 de Janeiro uma greve dos trabalhadores das empresas de distribuição.

Em causa está o aumento salarial de 90€, a partir de Janeiro deste ano, a valorização das carreiras e qualificações profissionais, horários de trabalho regulados e a passagem a efectivo de todos os trabalhadores a ocupar postos de trabalho permanentes.

Pré-aviso Grande Distribuição

31 de Janeiro - Manifestação dos trabalhadores dos sindicatos da Administração Pública Central e Local

A Frente Comum de Sindicatos, decretaram a realização de uma Manifestação para o dia 31 de Janeiro, com concentração no Marquês de Pombal.  Esta acção decorre após a apresentação da proposta de Orçamento de Estado par 2020, e que agora desce a discussão  na especialidade, não tem em conta a perda de poder de compra do Trabalhadores da Administração Pública, que após uma década sem aumentos salariais, o Governo apresenta uma proposta insultuosa!

Num quadro em que, entre 2005 e 2018, houve uma redução de mais de 58 mil trabalhadores na Administração Pública, em que os gastos com bens essenciais, habitação, saúde e educação tiveram crescimentos astronómicos na última década, o que o governo quer fazer é manter o roubo aos trabalhadores!

Para além do objectivo claro de retirar direitos aos trabalhadores, nomeadamente o direito a salários dignos, esta tentativa inaceitável de estagnação e retrocesso também contribuiria de forma negativa para a qualidade dos Serviços Públicos prestados às populações.

Sem trabalho com direitos, não há serviços de qualidade!

Os sindicatos exigem:

    • Por aumentos salariais justos: 90€ por trabalhador em Janeiro de 2020!
    • Em defesa dos Serviços Públicos!

Comunicado da Frente Comum

Tribuna Pública - Pelo Aumento Real das Pensões, Pelo Direito a viver com Dignidade

A Inter Reformados (IR) Lisboa vai realizar uma Tribuna Pública, no dia 15 de Janeiro pelas 10h30, junto à  sede da Segurança Social, na Av. 5 de Outubro n. 175, sob o lema: Pelo Aumento Real das Reformas, pelo Direito a Viver com Dignidade.  Esta iniciativa integra-se no âmbito da realização de um conjunto de acções que a Inter-Reformados/CGTP-IN e o MURPI vão realizar nesse mesmo dia,em 12 Distritos.

Esta acção tem como objectivo a exigência de medidas concretas em defesa dos direitos dos reformados, pensionistas e idosos, entre outras:

    • Um aumento real das pensões e de todas as prestações sociais, para lhes garantir a manutenção do poder de compra;
    • A revogação do factor de sustentabilidade;
    • A salvaguarda e reforço do Serviço Nacional de Saúde;
    • A eliminação das taxas moderadoras;
    • O aumento das comparticipações nos medicamentos para reformados e pensionistas detentores de pensões inferiores ao salário mínimo nacional.

NOVA DERROTA DA MATUTANO - Tribunal dá razão aos Trabalhadores

Segundo nota publicada pelo SINTAB, "O Tribunal da Relação de Lisboa ratificou as anteriores posições do Ministério Público e do Tribunal de Vila Franca de Xira, dando razão aos Trabalhadores, numa ação colocada pelo SINTAB em contestação ao modelo de laboração contínua que a empresa impôs. Esta é a terceira decisão favorável aos Trabalhadores e não é passivel de recurso. Em tribunal continua ainda uma ação principal, na qual o SINTAB contesta a implementação de laboração contínua na Empresa, contra a vontade dos Trabalhadores."

Saiba aqui como fazer para se sindicalizar no SINTAB.

Combater a Precariedade – Erradicar esta chaga Social

A União dos Sindicatos de Lisboa - CGTP-IN, promoveu no dia 5 de Dezembro, pelas 15H00 junto ao Ministério do Trabalho uma Tribuna Pública, no âmbito  da Semana Luta de Combate à Precariedade.

Nesta Tribuna pública participaram trabalhadores e activistas sindicais de diversos sectores: das telecomunicações, mais precisamente dos Call Centers, do comercio, do sector financeiro, das Industrias eléctricas, da hotelaria, da administração local, arqueologia, da EPAL, do LNEC.  

A União dos sindicatos de Lisboa- CGTP-IN também interveio na pessoa do seu Coordenador Libério Domingues, que referiu a importância desta luta e como esta deve ser assumida por todos os trabalhadores, ...“o combate à precariedade e a exigência  da passagem deste trabalhadores ao quadro das empresas deve estar sempre presente em qualquer caderno reivindicativo”, lembrou Libério.

O secretário-geral da CGTP Arménio Carlos encerrou esta Iniciativa e fez referência à dimensão desta chaga social. Em Portugal, mais de 1 milhão de trabalhadores têm contratos com vínculos precários. Lembrou que o patronato tem como objectivo a generalização da precariedade, trabalhadores sem direitos, com baixos salários e horários desregulados.

 Na área Metropolitana de Lisboa mais de 240 mil trabalhadores por conta de Outrem têm um vínculo precário e constituem 21,2% (mais de um quinto) dos trabalhadores por conta de outrem. A estes se juntam uma serie de situações atípicas, muitas ilegais ou clandestinas, não contabilizadas pelas estatísticas, mas vividas diariamente nos locais de trabalho.

A Tribuna terminou com a leitura de uma Resolução que foi aprovada por unanimidade.

Forte Adesão na Greve dos Centros de Contacto

Foi grande a adesão à greve por parte dos trabalhadores dos Centros de Contacto das empresas de telecomunicações (NOS, VODAFONE e MEO) realizada no dia 31 de Outubro. Estes trabalhadores estão em luta porque muitos deles  não vêem os seus salários aumentados há mais de 10 anos e ganham praticamente o salário mínimo nacional, trabalham ao lado de outros colegas que desempenham as mesmas funções, mas porque pertencem aos quadros das empresas ganham praticamente o dobro. Uma das grandes reivindicações destes trabalhadores é também a integração  nos quadros da empresa onde prestam serviço. Muitas destas empresas são multinacionais com lucros elevadíssimos que recorrem à subcontratação, que por sua vez pagam aos trabalhadores salários de miséria, impondo ritmos de trabalho elevadíssimos, colocam objectivos inatingíveis a troco de prémios, que são retirados caso os trabalhadores exerçam os seus direitos. Estes prometem que a luta vai continuar!

Privacidade

Está em... Home Acção Reivindicativa