Acção reivindicativa

SAUDAÇÃO

A Direcção da União dos Sindicatos de Lisboa (USL/CGTP-IN), reunida hoje dia 02 de Julho, saúda a trabalhadora Cristina Tavares e o Sindicato dos Operários Corticeiros do Norte pela importante vitória que constituiu a reintegração imediata da Cristina Tavares na Empresa Fernando Couto Cortiças – empresa que a despediu duas vezes e que sobre ela exerceu uma desumana pressão e violência psicológica.

Esta é a vitória da coragem e da dignidade, de quem não desiste do direito ao emprego e ao posto de trabalho.

Esta é também a vitória da acção colectiva e da solidariedade, do Sindicato dos Operários Corticeiros do Norte, da CGTP-IN e das suas estruturas, mostrando que estar sindicalizado é nunca desistir e não permitir o isolamento dos trabalhadores.

Certos de que neste resultado está um incentivo para a luta de muitas e muitos trabalhadores e um exemplo de que vale sempre a pena lutar!

Recebam a nossa calorosa e satisfeita saudação!

A luta continua!

A Direcção da USL/CGTP-IN

HÁ MAIS PRECARIEDADE EM “NÓS” com a RANDSTAD

O Sindicato das Industrias eléctricas do Sul e Ilhas (SIESI ) convocou uma greve para o dia 24 de Junho, para os trabalhadores dos Call Centers de Lisboa através da Randstad prestam serviço para a EDP, NOS e na PT. Os trabalhadores estiveram durante toda  a manhã concentrados à porta da sede da empresa RANDSTAD, na avenida da República para exigir respostas urgentes nomeadamente no que concerne ao caderno reivindicativo onde constam um conjunto de exigências como: aumentos salariais,  a regulamentação de horários de trabalho, contra a implementação do banco de horas; contra precariedade, estes trablhadores reclamam a integração nos quadros das empresas para que prestam serviços. O “outsorcing” constitui uma forma das empresas multinacionais obterem avultádos  lucros, à custa da exploração dos trabalhadores e da extrema precariedade imposta nestas empresas. Com esta luta procurou-se também denunciar a estratégia da empresa em tentar fazer pressão junto de alguns trabalhadores para rescidirem o contrato de trabalho.

Trabalhadores da DIA Portugal em Greve

DRH DA DIA PORTUGAL - MINIPREÇO-CLAREL RECUSA-SE A REUNIR COM DELEGAÇÃO DOS REPRESENTANTES SINDICAIS DOS TRABALHADORES

Trabalhadores da Dia Portugal – Minipreço/Clarel  estiveram em greve,  no dia  18 de Junho, com    grande adesão. A empresa mais uma vez cometeu inúmeras ilegalidades na substituição dos trabalhadores em greve.

Os representantes dos trabalhadores em greve deslocaram-se à sede da empresa para realizar a reunião que tinha sido solicitada para discutir as suas reivindicações e consideram inadmissível a falta de respeito com que a Administração e a Direcção de Recursos Humanos da Dia Portugal trata os trabalhadores e o seu Sindicato – CESP.

Desde final de 2018 que a empresa foge a reunir com os representantes sindicais do CESP da Dia Minipreço, não tendo dado resposta ao Caderno Reivindicativo dos Trabalhadores para 2019 e não respeitando o direito constitucional de negociação das condições de trabalho.

Os representantes dos trabalhadores presentes frente à sede da empresa, em Paço de Arcos, repudiaram este comportamento e reiteraram a sua determinação em continuar a luta exigindo resposta às suas reivindicações e problemas.

Grande Manifestação da CGTP-IN – Revogar as normas Anti-Laborais, Aumentar os Salários, Valorizar os trabalhadores

O Conselho Nacional da CGTP-IN aprovou, a convocação de uma Manifestação Nacional para o dia 10 de Julho, em Lisboa. Esta decisão prende-se com a análise que a Central faz sobre  da situação política e social:

- A insistência do PS na discussão e provável votação pela Assembleia da República das alterações para pior ao Código do Trabalho no mês de Julho (período em que muitos trabalhadores já estão de férias), a não revogação das normas gravosas e a não aprovação de alterações que melhorem a vida dos trabalhadores, como é o caso da reintrodução do princípio do tratamento maios favorável e do trabalho de escala prestado em dia feriado, entre outras,

- A urgência da implementação de medidas que promovam o aumento geral dos salários, a valorização das carreiras profissionais e o aumento do salário mínimo para 850€ a curto prazo;

- A luta pela negociação da contratação colectiva sem perda de direitos;

- A urgência da redução do horário de trabalho para as 35 horas e a regulação dos horários de trabalho, sem bancos de horas nem adaptabilidades

- O combate à precariedade,

- A defesa dos serviços públicos e das funções sociais do Estado com a dotação de meios para que efectivamente possam cumprir os direitos consagrados na CRP

Assim e dada a gravidade da situação e as repercurssões na vida dos trabalhadores, prevê-se a marcação de pré-avisos de greve a fim de possibilitar a participação dos trabalhadores no dia nacional de luta. Para mais informações os trabalhadores devem consultar os sindicatos dos respectivos sectores de actividade.

Milhares de Trabalhadores na Rua em Grandiosa Manifestação

Os trabalhadores da Administração Pública estiveram em força na tarde desta sexta-feira, 10/05/2019, em desfile até à residência oficial do Primeiro-Ministro.

Foram muitos os serviços públicos de diversos sectores que pararam pela forte adesão dos seus trabalhadores: escolas, centros de emprego, centros de saúde, repartições de finanças, tribunais, etc.

A luta pelo aumento dos salários, contra o congelamento das carreiras, pela contagem integral do tempo de serviço e contra o SIADAP são os principais motivos deste protesto levado a cabo pelos trabalhadores da Administração Pública central e local.

Durante o percurso os manifestantes foram saudados pelas estruturas Sindicais que integram a Casa Sindical de Lisboa.

Saiba mais aqui.

Greve dos Trabalhadores da Administração Pública encerra Escolas

No dia 10 de Maio os sindicatos da Frente comum realizam uma greve que leva ao encerramento de muitas das escolas públicas do distrito de Lisboa.

Para o mesmo dia está prevista uma manifestação que sai do Marquês de Pombal para a Assembleia da República. Esta luta tem como objectivo exigir o aumento dos salários, a reposição e a valorização das carreiras, a contagem do tempo integral de serviço, revogação do SIADAP (sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública) e a defesa dos serviços públicos. O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, não aceita o facto de haver mais de mil milhões de euros para financiar a banca e mais uns quantos para contratar empresas e aquisições de serviços, quando continua a haver mais de 600 mil trabalhadores, que há mais de dez anos não recebem aumento salarial.

TRABALHADORES DA CENTRAL DE CERVEJAS EM GREVE POR AUMENTOS DE SALÁRIOS

O Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústria de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB) decretou greve para os trabalhadores da Central de Cervejas, situada em Vialonga. A Greve tem como objectivo o aumento dos salários. A Greve Iniciou no dia 6 de Maio às 0h00 e termina no dia 12 Maio às 24h00. A adesão tem sido de 100% nos vários turnos.

1º de Maio Uma jornada de luta memorável!

A Comissão Executiva da CGTP-IN saúda o MSU e, por seu intermédio, os trabalhadores, os jovens, os desempregados e os reformados que, no dia 1 de Maio saíram à rua e fizeram do Dia Internacional do Trabalhador uma jornada nacional de luta memorável para “avançar nos direitos; valorizar os trabalhadores”.    

Um dia marcante pela resposta dada aos que atacam os sindicatos da CGTP-IN e tudo fazem para obstaculizar, deturpar e omitir a sua acção em prol dos trabalhadores, pelo trabalho com direitos, o progresso social e a soberania nacional.    

Um dia em que a razão deu mais força à reivindicação, a confiança estimulou a esperança e as convicções consolidaram a mobilização para a continuação da luta por uma política de esquerda e soberana, que rompa com a política de direita e reforce os direitos dos trabalhadores.    

A grande participação dos trabalhadores nas comemorações do 1º de Maio realizado em quarenta localidades do continente e das regiões autónomas confirmou e reforçou a CGTP-IN como a grande central sindical dos trabalhadores portugueses, demonstrou um apoio inequívoco às reivindicações apresentadas e o compromisso militante de intensificar a luta reivindicativa para a sua concretização.    

Sendo a luta nos locais de trabalho e nas ruas um elemento central para atingir os nossos objectivos, importa assegurar o seu desenvolvimento, pelo que o esclarecimento, a participação, a unidade na acção, a mobilização e a luta, são fundamentais para combater o pacote laboral do Governo do PS, responder aos problemas concretos dos trabalhadores e aos cinco eixos centrais reivindicativos, apresentados pela CGTP-IN.    

Depois deste grande 1º de Maio, que alguns tentaram esconder, mas a massiva participação popular obrigou a mostrar, é tempo para impulsionar a acção e o reforço da nossa organização, no quadro da realização do XIV Congresso da CGTP-IN e das comemorações do seu cinquentenário.    

VIVA A LUTA DOS TRABALHADORES! 

VIVA A CGTP-IN!

1º de Maio é com a CGTP-IN

A CGTP convida todos para o grande dia de luta e de festa que constitui o dia Mundial do Trabalhador, “Com a Luta vamos avançar nos Direitos – Valorizar os Trabalhadores”, este é o lema do 1º de Maio da CGTP-IN, que vai ter a sua grande comemoração em Lisboa, na Alameda D. Afonso Henriques.
 
São 45 anos do 1º primeiro de Maio em Liberdade e a festa começa logo de manhã, com a realização da 38ª corrida Internacional do 1º de Maio, a União dos sindicatos de Lisboa-CGTP-IN, estrutura intermedia da CGTP-IN responsável pela organização desta prova de atletismo, onde centenas de atletas de várias idades percorrem as principais ruas e avenidas da cidade, mas os mais pequenos ou aqueles que se sentem com menos preparação fisica também podem participar na Mini-Corrida.
 
No relvado da Alameda, podemos fazer um piquenique bastante variado, com a oferta de iguarias, confeccionadas pelos activistas dos diversos sindicatos, pode-se comer desder o caldo verde à bela sardinha assada, a bifana no pão ou experimentar a granada, nos petiscos da União, como sobremesa venha provar os bolos da Inter-Reformados. Já com a  a barriguinha cheia, vamos todos à Manifestação.
 
O 1º de Maio da CGTP é uma grande Jornada de unidade e luta contra a proposta de lei laboral do governo do PS, que com o apoio do PSD e do CDS pretende fumentar a precariedade, desregular os horários e pôr em causa a conciliação do trabalho com a vida pessoal e familiar, atacar a contratação colectiva, os direitos e reduzir os rendimentos. Vamos dizer não ao banco de 150 horas anuais, vamos rejeitar o periodo experimental de 180 dias, os despedimentos e o não pagamento da compensação. Este grande dia de festa e de Luta termina com o Comicio onde intervirá o secretário Geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, e a actuação de Celina da Piedade.

Está em... Home Acção Reivindicativa