Vale a pena lutar

TRABALHADORES DA TELEPERFORMANCE - DENUNCIARAM E GANHARAM!

call centerOs trabalhadores da Teleperformance organizados no CESP, denunciaram a intenção desta empresa de Call Center de retirar o subsídio de assiduidade para colmatar a subida do Salário Mínimo Nacional (SMN). Por intervenção do Sindicato CESP (Comercio Escritórios e Serviços) da CGTP, a empresa foi obrigada a repor os prémios. A Teleperformence é uma empresa (líder mundial em call-centers) que lucra milhões e só paga aos trabalhadores o SMN.

Ler documento do CESP aos trabalhadores.

A REPOSIÇÃO DOS FERIADOS ROUBADOS!

4 feriados roubados repostosHoje foi aprovado na Assembleia da República a reposição dos feriados roubados. Fruto da nova composição existente na Assembleia da República. Os feriados do 5 de Outubro (Implantação da República) e do 1.º de Dezembro (Restauração da Independência) e a recomendação para que o Governo se entenda com a Santa Sé, para o regresso dos feriados religiosos do Corpo de Deus (móvel, este ano a 26 de Maio) e de Todos os Santos (1 de Novembro). Esta foi uma importante vitória para os trabalhadores que conseguiram a reposição dos feriados roubados. Não podemos esquecer que para além da importância política e histórica que estes dias têm para Portugal, também acresce mais dias de descanso ou de remuneração para os trabalhadores que assim vêem aumentados os seus rendimentos por se considerar estes dias como feriados, logo tem uma retribuição diferente de um dia normal de trabalho.

VITÓRIA DOS TRABALHADORES E DO DIREITO DE CONTRATAÇÃO COLECTIVA! É PELA LUTA QUE LÁ VAMOS!

Frente Comum

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública saúda a luta determinada dos trabalhadores das aurtarquias locais, dos seus sindicatos, designadamente o STAL, o STML e FNSTFPS, juntamente com a luta e afirmação do direito às 35 horas por todos os sindicatos da Frente Comum, que teve como resultado a decisão do Tribunal Constitucional que veio dar razão aos trabalhadores. Saudamos ainda os autarcas que se mantiveram ao lado dos trabalhadores, respeitando os seus direitos e a autonomia do poder local na contratação colectiva, contra a atitude prepotente e ilegal do Governo PSD/CDS-PP.

Hoje, como sempre, vale a pena lutar. Só a luta dos trabalhadores derrotará as medidas anti-sociais e determinará a adopção de medidas justas que respeitem a dignididade de todos!

A PACC MORREU!

A PACC MORREU!

Prevaleceu a razão e não a obstinação de Nuno Crato. Recursos do Ministério da Educação e Ciência (MEC) e Ministério Público (MP) em relação a sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra (TAF) considerados improcedentes pelo Tribunal Constitucional. 

Perante este quadro, a FENPROF considera que os Professores lesados terão de ser ressarcidos pelos prejuízos causados pela obstinação, prepotência e falta de sentido democrático do ministro da Educação e Ciência e do governo que, perante os pareceres de ilegalidade, designadamente da Provedoria de Justiça, e a acção e a luta dos professores, sempre se recusaram a rever a sua posição e a revogar a legislação agora considerada inconstitucional.

Para isso, os gabinetes jurídicos dos Sindicatos da FENPROF estão já a organizar-se para apoiar todos os professores afastados dos concursos e das colocações em vagas de escolas/agrupamentos, bem como na devolução de todas as taxas e despesas inerentes à imposição da obrigatoriedade da realização da prova. 

Ler mais: A PACC MORREU!

TORTURA PSICOLÓGICA NO TRABALHO NÃO!

TORTURA PSICOLÓGICA NO TRABALHO NÃO!O Assédio no trabalho apesar de não ser um assunto novo, é um problema laboral delicado, complexo, pouco discutido e pouco divulgado. Contudo é uma prática ilegal repetida e sistemática que afecta profundamente muitos trabalhadores e trabalhadoras e consequentemente as suas famílias. O assédio tem por objectivo atingir a dignidade da vítima e a deterioração da sua integridade moral e física, é, também, um aproveitamento da debilidade ou fragilidade da vítima, da sua posição profissional hierarquicamente inferior ou da precariedade do respectivo vínculo laboral.

Parte desta opressão consiste em ataques verbais de conteúdo ofensivo ou humilhante e físicos, ou em actos mais subtis, podendo abranger a violência física e/ou psicológica, visando diminuir a auto-estima da vítima e, em última análise, a sua desvinculação ao posto de trabalho. Esta realidade, por vezes, dissimulada, noutras, abafada, deve ser combatida por todos os cidadãos - trabalhadores e trabalhadoras, em particular. (Ver aqui um caso passado numa empresa de transportes rodoviários SCOTTURB).

A CGTP-IN, atenta às muitas experiências/denúncias que lhe chega, diz não à tortura psicológica no trabalho. Da mesma forma como não é legitimo, nem é humano, alcançar produtividade por meio de torturas físicas, também não o é por meio de torturas psicológicas. A Campanha de intervenção sindical "Romper com o Assédio" dá a conhecer para intervir e combater e é um instrumento de orientação para denunciar, agir e resolver. 

Ver aqui o que deve ser feito para contrariar situações de assédio e como pode exercer os seus direitos.

Ver folheto distribuído aos trabalhadores.

LUTAR PARA GANHAR!

ferroviários em luta ganhamO Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário contribuiu de uma forma determinante na protecção dos trabalhadores, procurando salvaguardar o seu direito ao descanso, conforme a lei determina e defender a Contratação Colectiva, com o pré-aviso de greve ao trabalho extraordinário, para que a empresa também percebesse esta limitação de efectivos e a necessidade de recrutamento. Assim, foi concedida uma autorização especial de recrutamento para as várias categorias profissionais, designadamente, assistentes comerciais, operadores de revisão e venda e maquinistas.

Ler comunicado aos trabalhadores.

PETROGAL CONDENADA JÁ PAGOU AOS TRABALHADORES!

PETROGAL CONDENADA JÁ PAGOU AOS TRABALHADORES!Com o pagamento de milhares de euros aos trabalhadores, no final de Fevereiro, foi alcançada uma vitória da justiça e da razão na luta contra a decisão da administração da Petrogal de se apropriar de salários dos trabalhadores, na sequência das greves realizadas em 2010 e 2012. Além do valor dos salários ilegalmente retidos, de muitos milhares de euros, a empresa teve que pagar também juros de mora.
Num comunicado aos trabalhadores, distribuído esta semana, a Fiequimetal salienta três conclusões principais deste processo, concluído com cerca de uma dúzia de sentenças de vários tribunais, todas condenatórias da Petrogal, incluindo tribunais da Relação e Tribunal Constitucional.
Em primeiro lugar, salienta-se a unanimidade de todos os tribunais em condenar a Petrogal e, consequentemente, a confirmação de que a Fiequimetal fala verdade aos trabalhadores. Em segundo lugar, enaltece-se e sauda-se a unidade dos trabalhadores e a confiança nas suas organizações de classe. Em terceiro lugar, conclui-se que esta vitória demonstra mais uma vez que vale sempre a pena lutar pelos direitos e pela melhoria das condições de trabalho, combater a exploração, exigir a valorização do trabalho e a dignificação dos trabalhadores.
A Petrogal também perdeu o processo que intentou no Tribunal de Trabalho para que fossem declaradas restrições ao exercício da greve. Para a Fiequimetal, outra não poderia ser a decisão do tribunal, perante a manifesta inconstitucionalidade da pretensão da administração.

Está em... Home Vale a pena lutar