Vale a pena lutar

EMEL – FOI OBRIGADA A REINTEGRAR O DELEGADO SINDICAL DO CESP

emel_lutaO Delegado sindical da EMEL foi alvo de despedimento por parte da empresa por ter reposto a verdade dos factos, numa reunião convocada pela administração para analisar “o futuro da empresa” face à luta dos trabalhadores pelo direito à contratação colectiva e pela consagração de direitos no acordo de empresa.

Os trabalhadores uniram-se contra este despedimento e elaboraram um abaixo-assinado a exigir a reintegração imediata do Delegado Sindical no seu local de trabalho.

A União dos sindicatos de Lisboa e os sindicatos estiveram em solidariedade com a luta dos trabalhadores à porta da empresa.

O Sindicato do CESP recorreu ao tribunal e, no âmbito da providência cautelar, o tribunal decretou a suspensão do despedimento e ordenou a reintegração imediata do Delegado sindical no seu local de trabalho.

A USL saúda os trabalhadores da EMEL e o seu sindicato o CESP congratula-se pela justa decisão deste órgão de soberania e vêem reposto assim o direito ao exercício da actividade sindical, bem como à liberdade de expressão, consagrada na Constituição da República Portuguesa.

A luta vai continuar!
A Democracia não pode ficar à porta da Empresa!

Lutar e vencer já saiu!

Topo_lutar_e_vencer- CIMPOR obrigada a reintegrar dirigente Sindical, Supremo Tribunal confirma que o Despedimento foi ilegal.

- Trabalhadores vão passar a ser os primeiros a receber em caso de insolvência.

- Reivindicação de condições de trabalho e dignificação da carreira. Não é crime! É um direito legalmente superior!

- SAINT GOBAIN/ SEKURIT. Determinação e luta dos trabalhadores impõem aumentos salariais.

- SUPERMERCADO AC SANTOS. Obrigado a aplicar a tabela salarial do CCT da Grande Distribuição

- SAPEC AGRO. Tribunal da relação confirma falsa cedência ocasional e obriga a admissão dos trabalhadores

- IPTM. Inventar regras para penalizar um dirigente sindical é perseguição

Ler mais...

Privacidade

Está em... Home Vale a pena lutar