Serviços Públicos

URGÊNCIA PEDIÁTRICA DO HOSPITAL DE SANTA MARIA COM GRAVE CARÊNCIA DE ENFERMEIROS COMPROMETE SEGURANÇA DE CUIDADOS!

CHLN STA MARIA PULIDO VALENTEA Urgência de Pediatria do Hospital de Santa Maria é constituída por Sala de Triagem, Sala de Tratamentos, Sala de Pequena Cirurgia, bem como Sala de Reanimação e Sala de Vigilância, incorporando ainda as 6 unidades no Serviço de Observação (SO) assegurados por 4 enfermeiros, um número manifestamente insuficiente, tendo em conta a necessidade do acompanhamento das crianças e a resposta que é necessário dar em caso de emergência. A Direcção do Centro Hospital Lisboa Norte (CHLN) pretende assegurar os 6 postos de trabalho que compõem a Urgência com a imposição de trabalho extraordinário, que inviabiliza o gozo de folgas e descansos semanais. Mais, fazem depender o direito ao gozo de férias da realização de turnos extraordinários por parte da restante equipa.

Ler comunicado do SEP aos utentes. Ler nota à comunicação social.

Ler mais: URGÊNCIA PEDIÁTRICA DO HOSPITAL DE SANTA MARIA COM GRAVE CARÊNCIA DE ENFERMEIROS COMPROMETE SEGURANÇA DE CUIDADOS!

17 DE FEVEREIRO - ACÇÃO EM DEFESA DA LINHA DE CASCAIS - PELA SUA MODERNIZAÇÃO - PELO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTES!

PELA MODERNIZAÇÃO DA LINHA DE CASCAIS E DEFESA DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTESA linha ferroviária de Cascais tem sido alvo de um grande desinvestimento nos últimos 20 anos. Esta situação está a ter repercussões a vários níveis e são sistemáticas as avarias no material circulante que colocam em causa a segurança e afectam a já diminuta oferta de comboios previstos. A situação só não é mais grave porque os trabalhadores da EMEF e da CP têm conseguido reduzir os impactos negativos da falta de investimento na infra-estrutura e material circulante da linha de Cascais. Acresce a supressão dos comboios de São Pedro e a redução do número de comboios fora das horas de ponta e ao fim de semana. Esta situação tem contribuído para a degradação da qualidade do serviço prestado, considerando que os passageiros, em hora de ponta, deparam-se com carruagens cheias e sem lugares sentados, piorando ainda mais a segurança dos utentes.

Ler mais: 17 DE FEVEREIRO - ACÇÃO EM DEFESA DA LINHA DE CASCAIS - PELA SUA MODERNIZAÇÃO - PELO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTES!

ASSINA A PETIÇÃO EM DEFESA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS

PETIÇÃO EM DEFESA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOSO anterior Governo PSD/CDS, prosseguindo aquele que foi sempre o seu objectivo, entregar os serviços públicos de águas e resíduos aos grupos privados, vendeu a Empresa Geral do Fomento (EGF), ao consórcio liderado pela SUMA/Mota-Engil, um negócio escandaloso que criou um monopólio privado de resíduos sem paralelo na Europa, com gravíssimas consequências e perigos para o ambiente e a saúde, e impôs a fusão dos sistemas multimunicipais de água e saneamento, criando três mega empresas, a Águas de Lisboa e Vale do Tejo - concessionada à EPAL, a Águas do Norte e a Águas do Centro-Litoral (mantendo-se a Águas Públicas do Alentejo e a Águas do Algarve), abrindo assim caminho à privatização e à transformação da água, bem essencial à vida, num negócio.

Assina a Petição!

PLENÁRIO DE TRABALHADORES DAS INFRAESTRUTURAS DE PORTUGAL

PLENÁRIO DE TRABALHADORES DAS INFRAESTRUTURAS DE PORTUGALPor convocatória da Comissão de Trabalhadores e de organizações sindicais, os trabalhadores das Infraestruturas de Portugal, realizaram esta manhã um plenário em frente à Secretaria de Estado da tutela, tendo como motivo o modelo desta medida do governo do PSD/CDS, agora seguida pelo actual ministro da tutela, que na prática e por aquilo que é mais saliente, se tem mostrado como um projecto de promoção de negócios imobiliárias, que em nada se reflecte na melhoria do sistema de transportes e em particular na qualidade, segurança e melhoria do transporte ferroviário. A luta dos trabalhadores da REFER e das Estradas de Portugal continuará, contra a destruição destas empresas no processo de fusão na Infraestruturas de Portugal.

PRIVATIZAÇÃO DA CP-CARGA É PREJUDICIAL PARA O PAÍS!

PRIVATIZAÇÃO DA CP-CARGA É PREJUDICIAL PARA O PAÍS!As organizações de trabalhadores ( FECTRANS/SNTSF, Comissões de Trabalhadores da CP e CP-Carga) realizaram esta manhã um cordão humano, demonstrando o seu desacordo com o processo de privatização da CP-Carga. Há razões de fundo para esta posição, uma vez que, os Sectores Estratégicos da nossa economia devem estar nas mãos do Estado e que o transporte ferroviário de mercadorias é um Sector Estratégico. Há também razões circunstanciais, face ao processo de privatização em concreto, com inúmeras situações irregulares e ilegais, que foram denunciadas ao Tribunal de Contas, e onde se destaca a questão amplamente denunciada de a empresa ser vendida por 2 milhões de euros depois de o Estado a ter capitalizado em mais de 116 milhões. A privatização desta empresa configura um desastre para o país, tanto ao nível económico como energético, ambiental e social. 

CP CARGA – CORDÃO HUMANO - 28 DE JANEIRO

CP Carga – GREVE COM CORDÃO HUMANO - 28 DE JANEIROO Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, reuniu com o Ministro do Planeamento e Infra-Estruturas, este informou …”que não está nos seus objectivos a reversão do processo de privatização". A Privatização da CP-Carga, mais parece uma "doação", considerando que a CP capitaliza a CP- Carga com 116 milhões de euros, para vender por 2 milhões de euros. A privatização desta empresa configura um desastre para o país, tanto ao nível económico como energético, ambiental e social. Sem deixarmos de reconhecer que foram dados passos importantes neste novo quadro governativo, que responderam a importantes reivindicações e lutas dos trabalhadores, é preciso sublinhar que o Governo dá sinais de pretender manter o processo de destruição da ferrovia nacional, de que é exemplo o pretender concretizar o processo de privatização da CP-Carga lançado pelo anterior governo, pelo que dia 28 os trabalhadores da empresa realizarão um “Cordão Humano em defesa da CP-Carga pública.

CP CARGA - CONTINUA A ENTREGA DO PATRIMÓNIO PÚBLICO AOS PRIVADOS!

concentração contra privatização da cp cargaPelas 17 horas de ontem, uma delegação sindical manifestou-se junto à sede da CP, onde decorreu a assinatura da venda definitiva da CP Carga ao grupo privado MSC. Numa execução pelo Ministério e Planeamento e Infraestruturas de uma decisão do governo do PSD/CDS, apesar de, durante a campanha eleitoral, terem reconhecido que a privatização da empresa da carga da CP, nos termos em que estava a ser feita, era no mínimo pouco transparente e, assistimos à assinatura final, sem que o Ministro da Tutela tenha tornado público todos os contornos do negócio. Como é público neste negócio a CP entrega ao privado 116 milhões e recebe deste 2 milhões de euros, ou seja, paga-se aos privados para tomarem conta de uma empresa estratégica para o país, que será colocada, no futuro, a operar em função do negócio da MSC, o transporte de contentores. Também aqui não estamos perante um negócio traduzido num investimento estrangeiro, mas a entrega, pura e simples, de património público.

TRABALHADORES DIZEM NÃO À LIQUIDAÇÃO OU PRIVATIZAÇÃO DA CP CARGA!

TRABALHADORES DIZEM NÃO À LIQUIDAÇÃO OU PRIVATIZAÇÃO DA CP CARGA!Após as insistências para a realização da reunião com o Ministro do Planeamento e Infraestruturas para discutir o processo de privatização/liquidação da CP-Carga, e não tendo sido concretizada, uma delegação das organizações de trabalhadores – SNTSF/FECTRANS, CT da CP e CT da CP-Carga, esteve esta manhã em frente à Residência Oficial do Primeiro Ministro, ondefoi entregue um documento sobre a posição das estruturas de trabalhadores face à intenção de liquidação/privatização da CP-Carga. Estas organizações têm expressado publicamente o seu desacordo com o processo de privatização da CP Carga apresentando duas ordens de razões: 

Razões de fundo, considerando que os Sectores Estratégicos da nossa economia devem estar nas mãos do Estado e que o transporte ferroviário de mercadorias é um Sector Estratégico;

Razões circunstanciais, face ao processo de privatização em concreto, com inúmeras situações irregulares e ilegais, de que temos dado conta ao Tribunal de Contas, e onde se destaca a questão amplamente denunciada de a empresa ser vendida por 2 milhões depois de o Estado a capitalizar em mais de 116 milhões.

Está em... Home Serviços Públicos