Organizações

Interjovem Lisboa Aprova A Carta Reivindicativa

A Interjovem Lisboa aprovou a “CARTA REIVINDICATIVA DO JOVENS TRABALHADORES DO DISTRITO DE LISBOA”. Os Jovens trabalhadores não estão condenados a viver com a angústia a incerteza nas suas vidas, a perder direitos, emprego e remunerações, a ficar refém do que o capital e as estruturas ao seu serviço o determinem. A Interjovem alerta na Carta Reivindicativa para que não haja ilusões... “Sem um aumento significativo dos salários, os trabalhadores e em grande percentagem os mais jovens e os mais qualificados, continuarão a emigrar. A luta contra a precariedade é uma das grandes prioridades de acção da Interjovem e exigem a alteração das normas da revisão do código do Trabalho que agravam a precariedade, nomeadamente o alargamento do período experimental e a generalização dos contratos de muito curta duração bem como o alargamento às condições de acesso às prestações de desemprego.

Foi com esta determinação de Lutar. Pelo Trabalho com Direitos! Pelo Direito ao Futuro, que foi eleita a nova direcção distrital da Interjovem Lisboa, constituída por 13 Jovens de 8 sectores de actividade (CESP; Hotelaria; SINTAF; STAL; STML; Função Pública e Enfermeiros). A Interjovem Lisboa constitui um espaço de partilha de discussão, mas também de acção e de luta que reforça o Movimento Sindical Unitário.

VIII Conferência Distrital Da Interjovem/Lisboa

Lutar! Pelo Trabalho Com Direitos! Pelo Direito Ao Futuro!

A Interjovem Lisboa - CGTP (organização de jovens trabalhadores da CGTP-IN) no distrito de Lisboa vai realizar da VIII Conferência Distrital da Interjovem Lisboa, sob o Lema “Lutar! Pelo Trabalho Com Direitos! Pelo Direito Ao Futuro!”, no dia 25 de Setembro no auditório da Fundação José Saramago.

o actual quadro político, económico e social, atinge de forma particular os jovens trabalhadores.  A precariedade constitui a antecâmara do desemprego, os horários desregulados, os baixos salários, que impedem o acesso a habitação condigna e a possibilidade de terem a sua independência.

Na Conferência os jovens trabalhadores vão analisar e debater a situação política, económica e social e os principais problemas que na actualidade mais afectam a juventude trabalhadora; Aprovar as principais linhas para a acção imediata e para a luta dos jovens trabalhadores, em torno das suas principais reivindicações; Definir objectivos concretos para reforçar a organização sindical dos jovens, promover e dinamizar a sua participação, a todos os níveis, na vida dos sindicatos e nas estruturas do MSU e eleger a nova Direcção distrital.

Grande Piquenique Contra A Precariedade E Os Baixos Salários

4 DE JULHO, na Ribeira das Naus, em Lisboa, as 15h30

A Interjovem, organização de jovens trabalhadores da CGTP-IN, vai realizar o piquenique contra a precariedade e os baixos salários no dia 4 de Julho, na Ribeira das Naus, em Lisboa, as 15h30.

Esta iniciativa realiza-se numa altura em que milhares de jovens trabalhadores perderam os seus postos de trabalho (fruto da precariedade), viram os seus já baixos salários e rendimentos reduzidos e tiveram e têm os seus horários de trabalho desregulados. A exploração sobre os trabalhadores, em especial os mais jovens, intensificou-se à boleia do surto epidémico. Ao mesmo tempo em que se sonegam direitos laborais pondo em causa a segurança e a saúde dos trabalhadores, fazem-se apelos ao confinamento que incentivam à inacção e à submissão dos trabalhadores, em especial dos mais jovens.

Este piquenique pretende partilhar experiências, ser espaço de solidariedade e dar voz às reivindicações dos jovens trabalhadores.

26 de Março - Dia de Luta da Juventude Trabalhadora

Por força do surto epidémico do COVID-19, foi suspensa a manifestação nacional da juventude trabalhadora, que estava convocada para hoje, 26 de Março, em Lisboa. Porém, não cessa a luta dos jovens trabalhadores nem a acção reivindicativa.

A situação excepcional que se vive coloca a nu a necessidade de proteger os trabalhadores e valorizar os seus salários e deixa claro que a precariedade serve apenas os interesses do patronato.

A precariedade, que atinge ainda mais os jovens, deixa os trabalhadores mais expostos e vulneráveis, numa altura em que ainda seria mais necessária a estabilidade no emprego.

Exigimos o fim da precariedade e que a cada posto de trabalho permanente corresponda um vínculo de trabalho efectivo.

Assinalamos este dia 26 de Março como dia de protesto, reivindicação e luta.  A luta continua!

A Inter-Reformados, alerta! Pelo Aumento Real dos Salários e Pensões Com Direito a viver com Dignidade

A União dos Sindicatos de Lisboa e a Inter-Reformados, alertam!

Os Reformados e Pensionistas, para estarem  atentos às previsões do aumento das reformas e pensões para o ano de 2020.  É inaceitável que o aumento das pensões possa estar condicionado ao valor da inflação de 2019. Um quinto dos reformados vive em risco de pobreza ou exclusão social, considerando que o nível médio das pensões da Segurança Social em 2017, situava-se nos 379€, apesar de ter havido nos últimos 4 anos uma pequena recuperação.

 A pobreza combate-se com aumentos dignos nos salários e pensões, os reformados têm direito a viver melhor, neste sentido exortam todos os reformados e pensionistas a irem para a rua no dia 19 de Dezembro, pelas 16h00 no Largo da Misericórdia.

Consulta aqui o documento.

8º ENCONTRO DA INTER-REFORMADOS LISBOA

A Inter-Reformados de Lisboa/CGTP-IN, realizou o seu 8° Encontro sob o lema "Uma vida de trabalho exige valorização das reformas no presente e no futuro", no dia 22 de Junho (6ª feira) com início às 10h na Casa dos Direitos Sociais da CML .

Os reformados, pensionistas e idosos constituem um número significativo da população no distrito, muitos vivendo numa situação de pobreza, tendo no entanto muitos deles um papel importantíssimo de apoio à família. Durante o encontro foram discutidas várias matérias, nomeadamente: a necessidade do aumento geral das pensões e reformas; o acesso a uma habitação digna; mais e melhores serviços de saúde. 

ESTÁ NA HORA DE COMBATER A DESIGUALDADE SALARIAL ENTRE MULHERES E HOMENS


As diferenças salariais entre mulheres e homens continuam a persistir no mercado de trabalho. Este dado traduzido em dias, significa, durante um ano, são  79 dias de trabalho das mulheres sem remuneração, segundo um estudo da Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens da CGTP. Os baixos rendimentos, a subvalorização do trabalho das mulheres e a segregação existentes em alguns sectores de actividade contribuem para acentuar as desigualdades sociais e perpetuam a situação de pobreza a que muitas trabalhadoras são votadas.

As discriminações, das quais resultam desigualdades nos salários ou nos ganhos, entre mulheres e homens, hoje em dia são indirectas, logo são menos visíveis. No entanto, existem em todos os sectores, privado e público, com maior ou menor intensidade.

Uma efectiva e mais abrangente agenda para a igualdade no trabalho, abrangendo a eliminação da discriminação nos salários, prémios e subsídios pela efectivação do principio constitucional do salário igual para  trabalho igual ou de igual valor.

MILHARES EM LISBOA NA MANIFESTAÇÃO DA JUVENTUDE TRABALHADORA!

MANIFESTAÇÃO DE JOVENS TRABALHADORES A 28 DE MARÇO!Milhares de jovens trabalhadores manifestaram-se, no dia 28 de Março (Dia Nacional da Juventude), nas ruas de Lisboa contra os vínculos precários e os baixos salários. A Manifestação Nacional da Juventude Trabalhadora, convocada pela Interjovem da CGTP-IN, com o lema "O tempo é hoje! Vencer a precariedade, defender os nossos direitos". Partindo da Praça da Figueira em direcção à Assembleia da República foram muitos os jovens que empunhando bandeiras da Interjovem/CGTP-IN gritaram palavras de ordem como "O trabalho é um direito, sem ele nada feito!" ou "A luta continua, nas empresas e na rua!" - foram também muitos os trabalhadores de centros de atendimento (call centers) que participaram neste protesto fazendo greve e foram milhares os que chegaram enérgicos à Assembleia para ouvir as intervenções de João Barreiros, coordenador da Interjovem da CGTP-IN e Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP-IN.

Ver as fotos da manifestação.

MANIFESTAÇÃO DE JOVENS TRABALHADORES A 28 DE MARÇO!

MANIFESTAÇÃO DE JOVENS TRABALHADORES A 28 DE MARÇO!A Manifestação Nacional de Jovens Trabalhadores, aprovada pelo Plenário Nacional de Sindicatos da CGTP-IN, é o momento de afirmação das bandeiras de luta da juventude, das suas reivindicações e é, por estas características, uma boa razão para para reivindicar e dinamizar a luta pela resolução dos problemas concretos. É também, pela expressão de massas que terá, um importante momento de afirmação e mobilização para o 1º de Maio.

A defesa da contratação colectiva, eixo fundamental para a afirmação e conquista de direitos por parte dos jovens trabalhadores. O combate pela revogação das normas gravosas da legislação laboral e contra o recurso à sub-contratação e às empresas de trabalho temporário. A luta contra a Precariedade, os horários desregulados e os baixos salários, pelo direito ao trabalho com direitos e pelo aumento geral dos salários. Vamos fazer uma grande manifestação de Jovens Trabalhadores no dia 28 de Março, às 15 horas, desde a Praça da Figueira até à Assembleia da República.

O TEMPO É HOJE! VENCER A PRECARIEDADE, DEFENDER OS NOSSOS DIREITOS!

Ler documento da Interjovem.

Privacidade

Está em... Home Organizações