Serviços Públicos

7 de Abril – Dia Mundial da Saúde

É Urgente mais Saúde para o Progresso da Humanidade

Dia Mundial da Saúde vai ser assinalado pela União dos Sindicatos de Lisboa- CGTP-IN conjuntamente com a Plataforma Lisboa em Defesa do SNS.  Esta iniciativa realiza-se junto dos Utentes e trabalhadores, com a distribuição de um comunicado que vai ter lugar no dia 7 de Abril, Dia Mundial da Saúde, junto do Hospital da Santa Maria a partir das 7h30.

Os Trabalhadores Não São Descartáveis!

A Câmara de Cascais, a autoridade municipal de transportes anuncia, para o dia 25 de Maio, a mudança de operador rodoviário no concelho de Cascais, pelo que se coloca a interrogação quanto ao futuro dos trabalhadores, que têm o seu local de trabalho neste concelho e na Scotturb.

É com preocupação que o STRUP e a FECTRANS verifica que a nova empresa está a recrutar trabalhadores via página da internet da CMC – Câmara Municipal de Cascais e via empresas de trabalho temporário, logo não tem intenção de assumir os trabalhadores da SCOTTURB, portanto o que se irá passar?

Ler comunicado.

Obstáculos do SNS, Problemas dos Utentes

Não há espaço para mais falhas no combate à pandemia

Realizou-se ontem, dia 18 de Fevereiro, uma reunião entre a Plataforma Lisboa em Defesa do SNS e o Grupo Municipal de Lisboa do Partido Ecologista Os Verdes a pedido deste Grupo, para uma análise conjunta sobre os principais problemas e preocupações, em tempos de pandemia, na capacidade de resposta do Serviço Nacional de SAÚDE (SNS), na cidade e Área Metropolitana de Lisboa.

A Plataforma Lisboa em Defesa do SNS realça o largo consenso obtido, com especial destaque para o imperativo de o Governo reforçar o investimento no SNS que permita continuar a dar resposta à pandemia e garantir a recuperação rápida das actividades canceladas ou reduzidas para acompanhar os doentes não Covid e promover a medicina preventiva. 

Foi lembrado que a capacidade do SNS, nesta época de crise epidemiológica teria sido melhor e com menor pressão dos profissionais de saúde se: 

- Não tivessem sido encerradas milhares de camas ou unidades hospitalares, como o Hospital do Barro;

- Não tivesse sido destruída parte significativa dos serviços do Hospital Pulido Valente;

- Não houvesse algumas dezenas de centros de saúde instalados em edifícios precários;

- Não tivesse sido negligenciada a importância de implantar uma rede de cuidados continuados pública;

- Não tivesse havido desrespeito sistemático, pelos profissionais de saúde, com a desvalorização das suas carreiras, salários e condições de trabalho que faz com que muitos saiam do SNS.

Assim a Plataforma Lisboa em Defesa do SNS e o Grupo Municipal de Lisboa do Partido Ecologista Os Verdes comprometeram-se, no âmbito da sua intervenção, a levantar estas questões e outras questões exigindo a sua solução, através do reforço SNS.

Ler documento.

Acção De Denúncia No Hospital Beatriz Ângelo - Os Enfermeiros Das PPP Não São Enfermeiros De Segunda

O SEP vai realizar uma acção de denúncia no Hospital Beatriz Ângelo, (HBA), no dia 12 de Agosto, pelas 11h00.  Este hospital é uma Parceria público privado (HPP), os HPP são autênticos sorvedouros de dinheiros públicos para os privados, e deixam muito a desejar quanto aos direitos dos seus trabalhadores.

Segundo o SEP, os enfermeiros nesta instituição estão sujeitos a uma carga horária de 40 horas semanais, superior ao praticado nas restantes instituições do SNS; a elevados ritmos de trabalho e sobrecarga laboral (horas extraordinárias) o que leva a um estado de exaustão e um condicionamento da vida pessoal e familiar, é grande a carência de enfermeiros nos serviços e a precarização do vínculo (recibos verdes). Estas más condições de trabalho provocam grande rotatividade nas equipes o que leva a uma grande instabilidade nos serviços.  O Sindicato faz um conjunto de exigências nomeadamente o fim do modelo das PPP, cumprindo o estabelecido na nova Lei de Bases da Saúde.

Ler comunicado.

Colocar A TAP Ao Serviço Do País

A FECTRANS defende que a decisão do governo de tomar o controlo maioritário da TAP, tem que servir para colocar esta empresa ao serviço dos interesses do País, de modo a reforçar o seu papel estratégico no desenvolvimento económico e com os trabalhadores valorizados.

Agora é preciso que se inicie rapidamente a retoma da operação que já está atrasada, e que o accionista Estado honre os seus compromissos de reconstruir uma TAP robusta que sirva o país.

Não podemos esquecer que este sector de actividade representa cerca de 14% do PIB e dá emprego a centenas de milhar de trabalhadores e por isso se torna urgente a retoma da actividade desta importante e estratégica empresa nacional.

Ler mais aqui.

É Tempo De Falar Do Laboratório Militar

Os STEFFAs , têm alertado para a importância do Laboratório Militar na produção e fabricação de medicamentos, conforme divulgado no seu comunicado, «O Laboratório Militar é a única entidade no país detentora das faculdades e capacidades necessárias para, em caso de necessidade, frente a cenários adversos de epidemia, emergência, ruptura de fornecimentos, conflito, calamidade ou catástrofe natural, poder produzir medicamentos, fármacos, e outros produtos e materiais clínicos, para as Forças Armadas e para a população em geral.» A situação epidémica, veio pôr em evidencia a importância do LMPQF.

Finalmente o Orçamento do Estado para 2020 prevê criação do laboratório Nacional do Medicamento (LNM). Segundo o diploma, esta nova entidade será integrada na administração indirecta do Estado, dotada de autonomia administrativa e financeira, e insere -se na orgânica do Exército, prosseguindo atribuições do Ministério da Defesa Nacional e do Ministério da Saúde.

O novo LNM terá a qualidade de Laboratório de Estado e «a missão de contribuir para o desenvolvimento da investigação e produção de medicamentos, dispositivos médicos e outros produtos de saúde, diminuindo a dependência do país em face da indústria farmacêutica e afirmando a soberania nacional nessa área.» [Orçamento do Estado para 2020 – Lei n.º 2/2020, de 31 de Março, art.º 263.º, n.º 4, alínea d)]

É neste contexto que os STEFFAs, exige a manutenção do quadro de pessoal civil, bem como a admissão de mais trabalhadores e a preservação do quadro de militares especializados em Farmácia, constituído uma mais-valia que não pode ser desperdiçada.

Leia o comunicado aqui.

Privatização da Fiscalização da Carris

O STRUP/ FECTRANS repudiam a decisão da Câmara Municipal de Lisboa relativamente à entrega a privados da fiscalização comercial da Carris.

Segundo sindicato este negócio serve sobretudo a empresa privada que vai arrecadar, 2 milhões de duzentos mil euros, pela execução deste contrato. Feitas as constas e acrescentando ao vencimento auferido hoje pelos trabalhadores da fiscalização, com o subsídio de refeição e os encargos patronais para a TSU, estes milhões dariam para pagar durante 1 ano (14 meses) a 96 trabalhadores. Este é um grande negócio para o sector privado, à conta do sector público.

Ler mais aqui.

Grande Adesão na Greve das Empresas do Grupo CTT

Os trabalhadores dos CTT estiveram em greve no dia 12 de Junho, esta luta teve uma adesão de 78% chegando a atingir os 95 % no CPLS (Central de correios de Lisboa em Cabo Ruivo). Esta acção de luta teve como objectivo a exigir: aumentos salariais; admissão de trabalhadores; subsídio de refeição pago em dinheiro e a melhoria das condições de trabalho. O SNTCT, o sindicato dos trabalhadores dos correios avisa que a luta vai continuar.

Ler mais.

Privacidade

Está em... Home Serviços Públicos