SCOTTURB LUCRA MILHÕES E PAGA TOSTÕES

 SCOTTURB LUCRA MILHÕES E PAGA TOSTÕESA Scotturb teve um lucro de 3,5 milhões de euros nos anos 2014 e 2015 mas apenas actualizou os salários dos seus trabalhadores em 23 cêntimos/dia. Agora pretende ainda aumentar o horário de trabalho e retirar direitos, denuncia a Federação dos Sindicatos dos Transportes no seu site (FECTRANS). A Scotturb é uma empresa de transporte rodoviário de passageiros que com actividade nos concelhos de Cascais, Sintra e Oeiras. Num comunicado em que convoca os trabalhadores para um plenário no próximo dia 4 de Fevereiro, o sindicato representativo dos trabalhadores, STRUP, denuncia ainda que a empresa empresa continua a recorrer à prática ilegal de contratação de trabalhadores a prazo para a ocupação de postos de trabalho permanentes. 

Ler comunicado do STRUP.

COMBATE À PRECARIEDADE TEM QUE COMEÇAR PELO GOVERNO

COMBATE À PRECARIEDADE TEM QUE COMEÇAR PELO GOVERNOOntem dia 14, uma delegação da USL e Sindicatos entregou ao Primeiro-Ministro um dossier com exemplos concretos de situações de precariedade  existentes, tanto no sector público como no privado, no Distrito de Lisboa. Nesta acção também foi entregue uma carta aberta ao primeiro-ministro, colocando a responsabilidade no governo de dar o exemplo para as empresas do sector privado, “enterrando” a legislação com os constrangimentos de admissão de trabalhadores e promovendo a admissão dos trabalhadores necessários nos organismos e empresas que tutela. Sendo necessário, ao mesmo tempo dotar as entidades respectivas de meios e orientação de actuação firme perante as situações de recurso ilegal de precariedade laboral.

Ler carta aberta.

BASTA DE PRECARIEDADE! – USL ENTREGA AO 1º MINISTRO DOSSIER COM EXEMPLOS CONCRETOS

No dia 14 de Novembro pelas 14h30, sindicatos do distrito de Lisboa vão entregar ao 1º Ministro um dossier com exemplos concretos de situações de precariedade e também a ameaça de desemprego de trabalhadores com vínculo precário. A precariedade do emprego radica no modelo económico existente em Portugal, que se baseia no trabalho com vínculos precários, nos baixos salários e em baixas qualificações. A precariedade dos vínculos serve de chantagem e assédio sobre os trabalhadores para pagar baixos salários e limitar o exercício dos direitos laborais e as reivindicações por melhores salários. É urgente erradicar a precariedade e alterar o modelo de desenvolvimento. É necessário valorizar o trabalho e os trabalhadores.

PETIÇÃO - DEFENDE A CONTRATAÇÃO COLECTIVA!

PETIÇÃO - DEFENDE A CONTRATAÇÃO COLECTIVA! Junta a tua assinatura à de tantos outros trabalhadores dando desta forma expressão às seguintes exigências:

A efectivação do direito de contratação colectiva, consagrado na Constituição, no sentido de assegurar:

- A revogação da caducidade; a aplicação da norma que prevê a renovação automática das convenções; a reintrodução do princípio do tratamento mais favorável ao trabalhador; a reversão da possibilidade de suspensão temporária das convenções;

- A revogação das normas gravosas da lei geral do trabalho em funções públicas; a reposição do vínculo por nomeação e a garantia do direito de negociação e de contratação colectiva na Administração Pública;

- O aumento anual e geral dos salários e o descongelamento das progressões nas carreiras profissionais;

- A revogação do D.L. nº 133/2013 (regime jurídico do sector público empresarial), designadamente na parte que colide com o direito de contratação colectiva.

GARANTIR O DIREITO À CONTRATAÇÃO COLECTIVA

REVOGAR A NORMA DA CADUCIDADE DAS CONVENÇÕES COLECTIVAS

ASSEGURAR O DIREITO DE NEGOCIAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ASSINA AQUI A PETIÇÃO!

POR UMA POLÍTICA DE MAIS E MELHOR EMPREGO, URGE LUTAR CONTRA A PRECARIEDADE!

POR UMA POLÍTICA DE MAIS E MELHOR EMPREGO, URGE LUTAR CONTRA A PRECARIEDADE!Os dados do Inquérito ao Emprego, relativos ao segundo trimestre de 2016, mostram uma recuperação do emprego e redução do desemprego. A melhoria destes dois indicadores no 2º trimestre em relação ao trimestre anterior é comum verificar-se, por impulso da sazonalidade ao nível das actividades agrícola e turística, mas regista-se também uma evolução positiva em relação ao mesmo período de 2015. Os contratos precários continuam a ser a marca do emprego em Portugal e, neste 2º trimestre, somaram-se mais 40 mil vínculos precários aos 855 mil já existentes no início do ano (considerando contratos de trabalho com termo e outras formas de vínculos não permanentes). A precariedade, já estendida a todos os sectores de actividade e grupos etários, acentuou-se com a política de direita do Governo PSD/CDS-PP, em conluio com a Troica, e nunca atingiu níveis tão elevados: quase um quarto dos trabalhadores por conta de outrem têm um vínculo precário e, desde o final de 2013, que oito em cada dez novos contratos de trabalho são precários.

Ler mais: POR UMA POLÍTICA DE MAIS E MELHOR EMPREGO, URGE LUTAR CONTRA A PRECARIEDADE!

A USL INICIOU HOJE, NO DISTRITO, A CAMPANHA NACIONAL CONTRA A PRECARIEDADE

A USL INICIOU HOJE, NO DISTRITO, A CAMPANHA NACIONAL CONTRA A PRECARIEDADEA Campanha Nacional contra a precariedade, promovida pela CGTP-IN, teve hoje o seu pontapé de saída, em Lisboa. Largas dezenas de activistas, delegados e dirigentes sindicais, representando os sindicatos, SITAVA, SNTCT, CESP, STAD, STRUP e HOTELARIA realizaram uma tribuna pública no Aeroporto de Lisboa. Por ser este o maior local de trabalho da área metropolitana de Lisboa, onde trabalham milhares de trabalhadores de diferentes sectores de actividade: do handling, do comercio, da hotelaria, dos correios, do transporte rodoviário, dos bombeiros da vigilância e da limpeza. Neste local de trabalho travam-se diariamente importantes lutas contra a exploração e a precariedade laboral. 

Ler tarjeta distribuída aos trabalhadores, turistas e população em geral.

Ler mais: A USL INICIOU HOJE, NO DISTRITO, A CAMPANHA NACIONAL CONTRA A PRECARIEDADE

SCOTTURB: PARA MIM TUDO... PARA VOCÊS 24 CÊNTIMOS

SCOTTURB: PARA MIM TUDO... PARA VOCÊS 24 CÊNTIMOSNa reunião FECTRANS / SCOTTURB de dia 12 de Julho, foram apresentadas os argumentos para a continuidade do processo de negociação. Entende a FECTRANS, que face ao contexto actual no sector dos transportes, apoiado no argumento real da livre concorrência, a administração não pode manter a sua posição de rotura face ao CCTV, e como tal devem ser debatidas as propostas apresentadas, por ambas as partes.

Ler comunicado do STRUP aos trabalhadores.

Está em... Home Emprego